Contabilidade na China: Cuidado e eficiência andam juntos

Hoje trazemos para vocês a segunda e última parte da nossa entrevista com nossa CEO Cathy Zhang. Confira a primeira parte aqui caso ainda não tenha visto.

Cathy Tax Firm: Vistos de expatriado e emprego podem ser um processo complexo na China. Você poderia compartilhar alguns insights sobre como agilizar esse processo e garantir operações tranquilas para funcionários estrangeiros?

Cathy Zhang: “A simplificação dos vistos de expatriados e dos processos de emprego envolve documentação completa, conformidade com as leis de imigração e coordenação com as autoridades relevantes.

Certamente, as empresas devem contratar especialistas em imigração, manter uma comunicação clara com os expatriados e garantir renovações de vistos atempadas para evitar perturbações nas operações comerciais.

Além disso, promover um ambiente de trabalho favorável e fornecer apoio à integração cultural pode melhorar a experiência do expatriado e contribuir para a sua retenção e produtividade na China.”

CTF: Com a sua formação em gestão econômica e inglês, como gerenciar lacunas culturais e de comunicação entre empresas estrangeiras e autoridades locais ou parceiros na China?

Cathy Zhang: “Gerenciar lacunas culturais e de comunicação requer sensibilidade cultural, proficiência linguística, treinamento intercultural e habilidades eficazes de comunicação intercultural.

Ao promover a compreensão e a confiança mútuas entre empresas estrangeiras e autoridades ou parceiros locais, as empresas podem construir relações mais fortes, facilitar transações comerciais mais tranquilas e mitigar mal-entendidos ou conflitos.

Outro ponto interessante é investir em programas de conscientização cultural e treinamento de idiomas para os colaboradores. Esta prática melhora a comunicação e colaboração intercultural, aumentando a eficácia geral das operações comerciais.”

CTF: Como você aborda a construção e manutenção de relacionamentos sólidos com clientes em um setor competitivo como o de consultoria financeira e tributária?

CZ: “É um desafio constante. Construir e manter relacionamentos sólidos com clientes em consultoria financeira e tributária requer confiabilidade, experiência, capacidade de resposta, atendimento personalizado e comunicação eficaz.

Ao compreender as necessidades dos clientes, fornecer soluções de valor agregado, manter a transparência e fornecer um serviço excepcional, conquistamos confiança e fidelidade.

Dessa forma, podemos nos diferenciar dos concorrentes e manter relacionamentos de longo prazo com os clientes. Além disso, a comunicação regular, o envolvimento proativo e a busca de feedback do cliente nos ajudam a identificar oportunidades de melhoria e a fortalecer a satisfação e a fidelidade do cliente ao longo do tempo.”

CTF: Na sua opinião, quais são os principais fatores que contribuem para o sucesso de uma empresa com investimento estrangeiro na China, para além das considerações financeiras e fiscais?

CZ: “Em primeiro lugar, compreendo que o sucesso das empresas com investimento estrangeiro na China vai além de considerações financeiras e fiscais.

É o resultado da inclusão e da boa gestão de fatores como adaptação ao mercado, inovação, gestão de talentos, mitigação de riscos, conformidade regulatória e parcerias estratégicas.

Ao adoptar uma abordagem multifacetada à gestão empresarial e ao enfrentar estes diferentes desafios, as empresas podem melhorar a sua posição competitiva, capitalizar oportunidades de crescimento e alcançar sucesso sustentável no mercado chinês.”

CTF: Olhando para o futuro, que tendências ou desenvolvimentos emergentes prevê no panorama financeiro e fiscal para as empresas estrangeiras que operam na China, e como podem elas preparar-se para essas mudanças?

CZ: “Falar de tendências é sempre olhar para o futuro considerando o que foi aprendido no passado. Considerando este parâmetro, atrevo-me a dizer que as tendências previstas nas perspectivas financeiras e fiscais para as empresas estrangeiras que operam na China incluem a transformação digital, o aumento do escrutínio regulatório, a ênfase na sustentabilidade e os ajustes na política fiscal.

As empresas devem adaptar-se proativamente, investindo em tecnologia, adotando soluções digitais para relatórios financeiros e conformidade fiscal, melhorando os controles internos e alinhando as suas operações com os requisitos regulamentares em evolução.

Além disso, manter-se informado sobre as tendências do mercado e interagir com as autoridades reguladoras pode ajudar as empresas a navegar pela incerteza e a capitalizar as oportunidades emergentes no mercado chinês.”

CTF: Como alguém com experiência de trabalho em empresas multinacionais, que conselho você daria aos investidores estrangeiros que navegam no ambiente de negócios da China?

CZ: “Depois de mais de duas décadas de trabalho com empresas estrangeiras na China, posso dizer que os investidores estrangeiros que navegam no ambiente de negócios chinês devem dar prioridade à devida diligência, procurar conhecimentos locais, construir relações com parceiros industriais, manter a flexibilidade e manter-se informados. sobre tendências de mercado e mudanças regulatórias.

Além disso, a realização de estudos de mercado, a avaliação dos riscos geopolíticos e o desenvolvimento de planos de contingência podem ajudar a mitigar as incertezas e aumentar a resiliência dos investimentos na China.

Outro ponto interessante é que a promoção de canais de comunicação abertos com as partes interessadas locais e a demonstração de compromisso com a responsabilidade social corporativa podem construir confiança e credibilidade, facilitando operações comerciais e parcerias mais tranquilas no mercado chinês.”

CTF: Na sua opinião, o que diferencia as empresas bem-sucedidas com investimento estrangeiro daquelas que lutam para prosperar no mercado chinês?

CZ: “Acredito que as empresas bem-sucedidas com investimento estrangeiro na China demonstram adaptabilidade, compreensão do mercado e gestão de risco eficaz, enquanto as empresas em dificuldades podem não ter estes atributos ou enfrentar desafios de implementação.

Ao apostar na construção de vantagens competitivas, na promoção de uma cultura de melhoria contínua e no alinhamento das suas estratégias com a dinâmica do mercado, as empresas podem aumentar a sua competitividade.”

CTF: Os serviços jurídicos chegam como um serviço para oferecer apoio nesta área às empresas estrangeiras estabelecidas na China. Como funciona?

CZ: “Nossos serviços jurídicos atendem às diversas necessidades de empresas estrangeiras que operam na China, incluindo revisão e elaboração de contratos, resposta a questões jurídicas, resolução de disputas, proteção de propriedade intelectual, consultoria de conformidade, fusões e aquisições e governança corporativa, garantindo a mitigação de riscos legais e continuidade dos negócios.

Ao contratar profissionais jurídicos experientes, as empresas podem navegar por requisitos legais complexos, mitigar riscos jurídicos e proteger os seus interesses, reputação e ativos no mercado chinês, facilitando operações comerciais mais tranquilas e melhorando a sustentabilidade e o sucesso a longo prazo.”

CTF: Da mesma forma, o que você poderia nos explicar sobre a propriedade intelectual, que também está disponível como serviço aos nossos clientes?

CZ: “Os serviços de propriedade intelectual visam salvaguardar os ativos intelectuais de empresas estrangeiras na China através de patentes, marcas registradas e registro de direitos autorais, aplicação, licenciamento e apoio a litígios.

Este serviço ajuda a proteger a inovação, a reputação da marca e a vantagem competitiva no mercado chinês.

Ao gerir proativamente os direitos de propriedade intelectual, as empresas podem impedir o uso não autorizado ou a violação, manter o controle sobre as suas inovações e marcas e capitalizar as oportunidades de comercialização e expansão do mercado na China.

Sign Up for our Newsletter

Don't miss new updates and articles on your email